IPAC

PORTFÓLIO

Ocupação e Dinamização de Espaços Museais

O Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia – IPAC, autarquia vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, criada em setembro de 1967, atua de forma integrada e em articulação com a sociedade e os poderes públicos municipais e federais, na salvaguarda de bens culturais tangíveis e intangíveis e na política pública estadual do patrimônio cultural. Em 1980 passou a ser, oficialmente, um Instituto, seguindo a política federal do Instituto Nacional do Patrimônio (Iphan), criado em 1937.

A Fundação Luís Eduardo Magalhães é parceira do IPAC desde agosto de 2017, prestando serviços especializados de consultoria e assessoramento para o desenvolvimento de ações nas áreas de gestão, mobilização social e monitoria para o Programa de Ocupação e Dinamização de Espaços Museais do IPAC.

Como principais atividades da Fundação, estão apoio à gestão, produção cultural e operacionalização e manutenção das ações museais vinculados à Diretoria de Museus, responsável pela gestão de três instituições museológicas em Salvador – Centro Cultural Solar Ferrão, Museu Udo Knoff e Museu Tempostal – e mais o Museu do Recolhimento dos Humildes, em Santo Amaro – BA; o Museu do Recôncavo Wanderley Pinho, localizado em Candeias – BA e o Parque Histórico Castro Alves, situado na sede Municipal de Cabaceiras do Paraguaçu. O Museu de Arte da Bahia, o Museu de Arte Moderna da Bahia e o Palacete das Artes possuem administrações independentes, mesmo vinculados ao IPAC.

Conheça também:
← arraste para os lados →
FLEM NAS
REDES SOCIAIS