Posts

Filho de agricultores da região de Maraú, Erles Ferreira poderia ter tido a mesma história de milhares de jovens que, por falta de oportunidade, abandonam a escola para ir trabalhar e ajudar a família, muitas vezes tendo que mudar de cidade ou estado.

Entretanto, a sua trajetória seguiu um rumo diferente. O desejo de continuar os estudos encontrou uma escola técnica estadual pelo caminho. Em seguida, as boas notas no curso profissionalizante possibilitaram a mudança daquela rota “predestinada”: o ingresso no Programa Primeiro Emprego (PPE), maior ação social de inserção de pessoas no mercado de trabalho já promovida pelo Governo do Estado da Bahia.

Funcionário da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM), executora do Programa, Erles já ampliou o horizonte, está concluindo a graduação em Gestão Ambiental e deixa um legado para os alunos do Centro Territorial de Educação Profissional Sul – Comunidade Quilombola, em Maraú, onde foi aluno e hoje trabalha: o projeto Horta na Escola, onde são oferecidas as aulas práticas e os futuros técnicos do Centro podem plantar e colher um futuro melhor.

Para o presidente da FLEM, Francisco Américo Neves, “é uma honra para a Fundação participar da operacionalização de um programa da relevância do Primeiro Emprego, por oportunizar experiência profissional e ascensão social aos estudantes dos cursos técnicos da rede estadual, nossos futuros representantes”.

O projeto de Erles, juntamente com outras 54 inciativas, foi apresentado na última quarta-feira (09/10), no auditório Zezéu Ribeiro, em Salvador, para autoridades, gestores e participantes do Primeiro Emprego. Projetos como a modernização de sistemas, organização de arquivos, implantação de cardápios saudáveis em escolas, otimização de processos de trabalho e iniciação musical para pessoas com deficiência. “Esse Programa é de extrema importância no nosso Governo. Dar oportunidade de emprego aos alunos egressos do sistema profissional é ter a possibilidade de mudar a vida das pessoas”, disse o secretário da Casa Civil do Estado da Bahia, Bruno Dauster.

O secretário de educação, Jerônimo Rodrigues, também ressaltou a importância do Programa para o governo. “Esse Seminário é uma demonstração clara da preocupação do Governo com a geração de trabalho e com o fortalecimento de uma política para a juventude”!

Almerico Biondi Lima, coordenador da COAPS – Coordenação de Atenção a Projetos Sociais da Casa Civil apresentou os resultados do programa, que já empregou mais oito mil pessoas, desde 2016, em órgãos do estado, e falou do impacto dos projetos apresentados. “Geralmente são melhorias com bastante sensibilidade, que melhoram a vida do cidadão e cidadã. O que esses beneficiários apresentaram neste seminário nos surpreende”.

Clique aqui e conheça nove projetos inovadores realizados por participante do PPE e funcionários da FLEM no canal da Fundação no Youtube.

Técnicos que há dois anos foram admitidos pelo Programa Primeiro Emprego, do Governo do Estado, participaram do Encontro de Encerramento de Contrato, na última terça-feira (9), no auditório da Fundação Luís Eduardo Magalhães, em Amaralina.

Cerca de 60 beneficiários, que estão em processo de desligamento, puderam contar suas experiências, aprendizagens e contribuições durante o período em que trabalharam nos órgãos para onde foram direcionados. A maioria dos beneficiários aproveitou a oportunidade para investir em aprendizado e melhoria de vida.

A técnica Lizandra Silva, 21 anos, bacharel em Direito, colaboradora no Colégio Quinze de Novembro, no bairro São Cristovão, em Salvador, com o dinheiro que recebeu, conseguiu construir uma casa. “Eu juntei um ano de salário e fiz minha casa em cima da casa de minha mãe. Queria independência e espaço para estudar. Agora, com o dinheiro da rescisão, quero comprar meus móveis”, afirmou Lizandra.

Lizandra Silva, 21 anos

A experiência adquirida nos dois anos de contrato também foi importante para Andressa Maciel, 20 anos, técnica em logística, que trabalhou na zona rural de Simões Filho, no Colégio Estadual Luís Viana Filho. Mesmo com a dificuldade na locomoção para chegar ao trabalho, ela afirmou que aprendeu muito e que vai sentir falta dos colegas de trabalho. “Aprendi muito e já sinto saudades. O pessoal lá disse que está triste porque eu estou saindo. Eles esperam que o pessoal do primeiro emprego mande uma pessoa que nem eu”. Com o salário que recebia, Andressa também investiu na sua capacitação. Concluiu o curso de inglês, um dos seis idiomas que pretende aprender.

Andressa Maciel, 20 anos

Para Andressa, a assistência da Flem foi o apoio principal para o seu ingresso no mercado de trabalho. “Foram dois anos aprendendo com a Flem e eu só tenho coisas boas pra falar porque até então em tudo que precisei sempre me ajudaram; eu acho que essa foi uma oportunidade incrível, porque já é difícil conseguir entrar no mercado de trabalho e ainda mais quando a gente não tem experiência, essa foi uma oportunidade maravilhosa”.

Beneficiários que se despediram do PPE, com equipe Flem.

O músico André Gustavo, 44 anos, já trabalhou em outras empresas, inclusive por 10 anos com a cantora Nara Costa, conhecida na Bahia como idealizadora do arrocha, mas com a carteira assinada foi a primeira vez. Técnico no Museu de Arte da Bahia (MAB), o guitarrista e violonista se encantou com o espaço e aproveitou para aprimorar seus conhecimentos com a arte. “Desde os 17 anos eu curto arte e trabalhar aqui me acrescentou muito, porque arte é prazer”, disse. Com o salário, André ajudou nas despesas de casa, no sustento das duas filhas (3 e 6 anos) e da esposa, que está desempregada.

André Gustavo, 44 anos

Desde 2016, o Programa Primeiro Emprego, por meio da Fundação Luís Eduardo Magalhães, já contratou 4.197 jovens. Por terem completado dois anos, 1.012 técnicos já foram desligados.

Ascom

Orientadores que atuam como Pontos focais do Programa Primeiro Emprego (PPE) se reuniram na tarde desta quarta-feira (27), no auditório da Casa Civil, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), para participar do 1º Seminário Ponto Focal Estaduais, que teve como pauta principal a melhoria das ações que contemplam o programa de ação social de combate ao desemprego dos jovens, promovido pelo Governo do Estado, para inserir egressos e estudantes da educação profissional no mercado de trabalho.

O fortalecimento da comunicação e promoção do diálogo entre a coordenação do Programa e os pontos focais foi debatido com o objetivo de ampliar a compreensão, o alcance e a qualidade do PPE. A diretora de Apoio a Projetos Sociais da Flem, Rosemarie Freitas, enalteceu o seminário como um meio de aproximação com os pontos focais. “A qualidade dessa relação é necessária quando a gente lembra que os pontos focais são, antes de tudo, orientadores dos beneficiários”. Rosemarie salientou também que a troca com esses atores do Programa permite que seja feita uma avaliação dos resultados do trabalho, por meio da visão de quem está na ponta, lidando diretamente com os jovens.

Foto: Ascom/Flem

Atualmente, a Flem acompanha 3.443 beneficiários do Programa Primeiro Emprego que estão trabalhando em órgãos na capital e no interior do estado. Desde o seu lançamento, mais de cinco mil beneficiários já foram contratados pela Fundação para integrar o Programa, que em novembro de 2019 completa três anos de lançamento.

Além de representantes da Flem e pontos focais, também estiveram no Seminário o coordenador do Programa, Almerico Biondi, representantes da Secretaria de Segurança Pública, Vice Governadoria, Fundação Pedro Calmon, Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e da Secretaria da Administração do Governo (Saeb).

Nos dias 19 e 20 de dezembro, aconteceu o último Encontro de Capacitação de 2018 dos colaboradores dos escritórios regionais da Fundação Luís Eduardo Magalhães – FLEM. O Encontro teve como objetivo o cumprimento das metas do Programa Primeiro Emprego, do Governo do Estado, para o próximo ano.

18 analistas técnicos que atendem ao Programa nos municípios de Feira de Santana, Juazeiro, Teixeira de Freitas, Irecê, Vitória da Conquista, Ilhéus, Jequié e Santo Antônio de Jesus, se reuniram na sede da Fundação em Amaralina.

Entre os assuntos abordados nos dois dias do Encontro estavam propostas de melhoria compreendendo atividades práticas no ambiente virtual de aprendizagem, noções sobre comunicação empresarial, administrativa e institucional, além de confecção de relatórios de solicitações e acompanhamento e prestações de contas de viagens para atividades externas.

Por estarem alocados fora da sede em Salvador, os funcionários também receberam – com a presença do presidente da FLEM Francisco Américo – treinamento prático do novo sistema de frequência registrado por meio eletrônico, que entrou em fase de teste desde o dia 12 de dezembro e passará a operar definitivamente a partir de 2 de janeiro de 2019.

Monitorados pelos analistas que participaram do encontro, cerca de 3.500 técnicos de diversas áreas, contratados pela FLEM, trabalham em órgãos estaduais espalhados pelos 27 territórios de identidade do estado da Bahia, em mais de 170 municípios.

ASCOM

Analistas de atendimento dos escritórios regionais da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM), participaram de treinamentos em Salvador, de 3 a 5 de outubro, sobre o uso de ferramentas voltadas para o Programa Primeiro Emprego (PPE), do governo do Estado. O evento aconteceu no auditório do Hotel Nacional Inn, na Pituba.

O primeiro dia de treinamentos teve como foco principal as metas do PPE e a manutenção do Sistema de Gerenciamento do Programa Primeiro Emprego (SIGPE). Na quinta-feira, uma conversa sobre frequência dos beneficiários tirou dúvidas dos analistas, incluindo serviço de acompanhamento de viagem e prestação de contas, com a participação do setor de recursos humanos da FLEM. No último dia, o assunto foi aperfeiçoamento, acolhimento, comunicação e os planos de ação para cada escritório regional.

Esta foi a segunda etapa de treinamentos e envolveu analistas que atendem rotinas internas. Na primeira, o treinamento abrangeu analistas dos mesmos escritórios, mas que realizam atividades de campo. Também participaram deste treinamento, analistas volantes que atendem cidades sem escritório regional.

Escritórios Regionais – A FLEM realiza as contratações dos técnicos, de todo o estado, na sua sede em Salvador. Devido ao crescimento do Programa, foram abertos Escritórios Regionais em Juazeiro, Teixeira de Freitas, Irecê, Vitória da Conquista, Santo Antônio de Jesus, Feira de Santana e Jequié. Em Ilhéus, não há escritório, dois técnicos auxiliam no acolhimento aos beneficiários da região. Com estes pontos de atendimento, os beneficiários têm acesso mais rápido à informação e contato mais próximo com a FLEM, podendo tratar das suas demandas pessoalmente e não apenas via e-mail ou ligação.

De acordo com a diretora de soluções educacionais da FLEM e responsável pelo PPE, Glória Tellez, o objetivo do treinamento foi alcançado. “Alinhamos o trabalho da sede com o trabalho dos escritórios e conseguimos diminuir as diferenças com relação aos procedimentos e metas a cumprir, embora saibamos que, por ser um programa novo, o PPE sempre vai precisar de novos alinhamentos, até conseguirmos alcançar as metas propostas pelo Governo do Estado.

Para Wanessa de Sousa, analista do escritório regional em Santo Antônio de Jesus, que atende beneficiários dos territórios do Recôncavo e Baixo Sul, “esses dias de treinamento serviram para o aprimoramento nas questões relacionadas ao sistema, frequência e RH, além de saber a quem se reportar quando surgirem situações que necessitem de apoio da sede”, afirmou.

Atualmente, a FLEM já contratou mais de 3.300 técnicos de diversas áreas, que hoje estão trabalhando em órgãos estaduais espalhados pelos 27 territórios de identidade do estado da Bahia, em mais de 170 municípios.

ASCOM

Nesta quinta-feira (30), 65 jovens egressos da rede Estadual de Educação Profissional, recém-contratados por meio do Programa Primeiro Emprego, para atuar em órgãos públicos de Salvador e Leia mais